Consumo Indústrial

A crescente necessidade e preocupação do homem, para manter alimentos em bom estado levou-o a perceber, que o uso de sal era um dos métodos que permitiam conservar os alimentos e evitar a sua degradação. A aplicação do sal na indústria também é diversa: química, salga de peixe, panificação, lacticínios, curtumes, plásticos, saboaria. Outras indústrias também o utilizam, mas em menor quantidade: tabacos, explosivos, cerâmica, gelo, tratamentos de águas, têxteis, etc.

Indústria química transformadora Indústria química transformadora:
Alguns dos produtos fabricados na indústria, que utilizam o sal como matéria-prima são o carbonato de sódio, a soda cáustica e o sulfato de sódio.
O carbonato de sódio tem aplicação nas indústrias do vidro, de drogas, do sabão, do papel, de cerâmica, têxtil, metalúrgica, do petróleo, de curtumes, de corantes, etc. A soda cáustica tem aplicação no fabrico de sabões, de corantes, de papel, de drogas, de borracha e na indústria têxtil, metalúrgica e de refinação de petróleo.
O sulfato de sódio aplica-se na indústria do vidro, em medicina e no fabrico de outros compostos de sódio.


Indústria de salga de peixe Indústria de salga de peixe:
A salga é o processo mais antigo de conservação do peixe devido possuir forte influência na sua conservação.


Indústria de conservas Indústria de conservas:
Os produtos geralmente utilizados em conserva são o peixe, a carne e os vegetais. O sal atua como agente de conservação e como condimento. Quanto ao peixe, a quantidade a empregar varia sensivelmente com o tipo de conserva. Em média, para a sardinha em molhos, aplica-se à razão e 130 gramas de conserva e, para o peixe em salmoura, cerca de 450 gramas por igual quantitativo.

O consumo referente à conserva de carnes agrupam-se os produtos da indústria propriamente dita, a salga de suínos nas grandes casas de lavoura e em pequenas propriedades rurais para consumo próprio. Entre os produtos vegetais que se consomem em conserva pelo sal destaca-se a azeitona.


Indústria da panificação Indústria da panificação:
O pão é constituído fundamentalmente pela farinha, pela água e pelo sal.
A incorporação do sal ao pão, confere qualidades sem as quais se tornaria impróprio para o consumo, pois o mesmo regula a fermentação que efetua na massa, melhorando as suas características e influindo, durante o processo de fabricação, na coloração da crosta.


Indústria de lacticínios Indústria de lacticínios: O queijo e a manteiga exigem sal marinho para a conservação.

Indústria de curtumes Indústria de curtumes: A salga ainda é um processo de conservação mais utilizado no processo de secagem dos couros e das peles. O sal é salpicado a seco e não deve ser reutilizada.
A aplicação insuficiente de cloreto de sódio, em qualidade e quantidade, pode produzir defeitos que desvalorizam os couros e peles, ou mesmo ocasionarem o início da sua decomposição.


Indústria de plásticos Indústria de plásticos:
O cloreto de sódio é matéria-prima de primeira grandeza e insubstituível no fabrico de uma série de produtos plásticos de reconhecida importância.


Indústria de sabões Indústria de sabões:
Na indústria de sabão o sal comporta-se como carga ou funciona como agente da relargagem. A carga destina-se a dar maior consistência ao produto e, por vezes, a aumentar-lhe o poder detergente. A relargagem consiste na separação da glicerina e das impurezas contidas nas matérias-primas do sabão propriamente dito. Os produtos relargados empregam-se geralmente no fabrico de sabonetes.


Alimentação dos animais Alimentação dos animais:
O sal além de constituir um bom condimento, estimula a secreção dos sucos digestivos, aumentando a capacidade de trabalho e a resistência às doenças dos animais. As quantidades de sal necessárias para as espécies pecuárias, segundo os especialistas, por dia são as seguintes:

Porco…………………………….4 g
Carneiro………………………….8 g
Ovelha……………………………6 g
Vaca leiteira……………………...60 g
Cavalo……………………………20 g

Através de revistas da especialidade colheram-se as seguintes curiosas informações:
    ° As misturas de sal com antibióticos reduzem as perdas dos carneiros por mortalidade;

    ° O sal com iodo evita a papeira nos cães;

    ° O Departamento da Agricultura dos Estados Unidos da América do Norte recomenda o emprego de sal nas rações dos coelhos;

    ° As soluções de sal tornam a carne de vaca macia;

    ° Usa-se o sal para atrair as grandes peças de caça, serve de isco aos alces e aos veados das montanhas;

    ° O sal dado aos pintos evita que eles se comam uns aos outros;

    ° A salmoura mata o piolho dos frangos;

    ° O sal ajuda a aumentar o número de peixes existentes em lagos de herdades.




O sal na agricultura O sal na agricultura
Em alguns países o sal é aplicado diretamente como fertilizante, em formato de adubo nas terras de cultivo. Na cultura de beterraba, açucareira, da cevada, do trigo, da aveia e do coqueiro os resultados revelaram aumento de produção e melhoria das qualidades organolépticas dos produtos. Nos estados Unidos da América do Norte utiliza-se o sal como teste para verificação da humidade do feno a ensilar e do trigo a ceifar.